ALIMENTAÇÃO

OMS lança programa para eliminar gordura trans dos alimentos

A OMS pretende que os Estados se comprometam a eliminar estas gorduras produzidas industrialmente e que são responsáveis por muitas das doenças cardiovasculares, que são, por sua vez, a primeira causa de morte no mundo.

  • Divulgação. Divulgação.
Divulgação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou nesta segunda-feira um programa para eliminar dos alimentos as gorduras trans produzidas industrialmente, responsáveis por mais de 500 mil mortes a cada ano.

A gordura trans é um tipo de gordura que se forma quando o óleo líquido se transforma em gordura sólida através de um processo de hidrogenação que serve para aumentar o tempo de vida útil da comida.

Alguns alimentos, como as carnes de vaca, de porco e de cordeiro, e os lacticínios (leite, queijo, manteiga) contêm quantidades pequenas destas gorduras de maneira natural. No entanto, a maioria das gorduras trans da nossa dieta provêm de alimentos processados preparados com óleos vegetais parcialmente hidrogenados como os usados na confeitaria, em batatas fritas, na margarina e outros tantos.

OMS pretende que os Estados se comprometam a eliminar estas gorduras produzidas industrialmente e que são responsáveis por muitas das doenças cardiovasculares, que são, por sua vez, a primeira causa de morte no mundo.

A iniciativa foi batizada de “Substituir” e apresenta seis ações estratégicas para poder passar do consumo de alimentos com grande quantidade de gorduras trans para uma em que elas não existam.

Os seis passos são: revisar a situação nacional; promover a substituição por outras fontes de gorduras mais saudáveis; legislar para proibir as gorduras trans; avaliar o conteúdo dos alimentos e as mudanças de hábitos na população; criar consciência na população e na indústria sobre os seus efeitos prejudiciais; e implementar a nova legislação.

De acordo com a OMS, vários países desenvolvidos conseguiram eliminar total ou parcialmente – colocando limites à quantidade permitida – a gordura trans dos seus alimentos, seguindo o exemplo da Dinamarca, que foi a primeira nação a fazer isso. O objetivo da agência da ONU é que estas mudanças sejam colocadas em prática também nos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, onde os controles são normalmente mais fracos.

Publicado em Nutrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?