DIABETES

Novo adesivo mede glicose sem necessidade do uso de agulhas

O adesivo extrai a glicose do fluido entre as células através dos folículos pilosos.

  • EFE/ ArquivoEFE/ Arquivo
EFE/ Arquivo

Um novo adesivo serve para medir o nível de glicose através da pele, o que pode fazer com que milhões de diabéticos não precisem usar agulhas para fazer as medições periódicas, segundo um estudo publicado pela revista “Nature Nanotechnology”.

O adesivo extrai a glicose do fluido entre as células através dos folículos pilosos, aos quais tem acesso individualmente graças a sensores em miniatura que usam uma pequena corrente elétrica, e a recolhe em pequenos reservatórios para medí-la.

As leituras do nível de glicose podem ser feitas a cada 10 ou 15 minutos ao longo de várias horas, segundo um estudo da Universidade de Bath, no Reino Unido.

Graças ao conjunto de sensores e reservatórios, o adesivo não precisa ser calibrado com uma mostra de sangue, o que torna desnecessária a perfuração dos dedos, comum no processo de medição de glicose.

A equipe criadora do adesivo espera que este possa se tornar um dispositivo de baixo custo que envie de maneira regular medições relevantes do nível de glicose a startphones e relógios smart do usuário e alerte se é necessário tomar alguma medida.

“Uma grande vantagem” deste dispositivo, segundo os pesquisadores, é que cada sensor em miniatura pode operar em uma pequena área sobre um folículo piloso individual, o que aumenta a precisão das medições.

Para este estudo, a equipe testou o adesivo tanto na pele de porcos, onde demonstrou que podia ler de maneira precisa os níveis de glicose em todas as categorias observadas em pacientes humanos diabéticos, quanto em pessoas voluntárias, nas quais também foi possível monitorar as variações de açúcar no sangue ao longo do dia.

O próximo passo é melhorar o design do adesivo para otimizar o número de sensores no dispositivo, demonstrar sua total eficácia durante um período de 24 horas e realizar testes clínicos fundamentais.

Marcados com: , ,
Publicado em Doenças e Tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?