COLESTEROL

    Você sabe qual o seu colesterol?

    No Dia Nacional do Controle do Colesterol, o que preocupa é o crescimento da obesidade infantil e o índice de colesterol elevado desde a infância

    • Você sabe qual o seu colesterol?
    Você sabe qual o seu colesterol?

    O dia 8 de agosto é  o Dia Nacional de Controle do Colesterol e a Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj) faz um alerta sobre o crescimento desse problema entre as crianças. Outro alerta importante também é a falta de preocupação do brasileiro com a doença, que não apresenta sintomas e pode causar problemas cardiovasculares.

    De acordo com a médica e presidente da Socerj, Olga de Souza, a banalização dos riscos do colesterol é uma das preocupações a serem ressaltadas na campanha de combate a doença arterial, trabalhando com “a população para conhcer o nível do colesterol, os tratamentos e evitar as doenças cardiovasculares”.

    Ela também enfatiza a preocupação com o colesterol infantil e com pacientes que já tenham fatores de risco como obesidade, pressão arterial e histórico familiar.

    Segundo a médica, é importante esclarecer que 70% do colesterol é produzido no organismo e 30 % através da alimentação. Estes índices dependem também do metabolismo e da carga genética de cada pessoa, “mas quando eles estão em excesso pela deficiência do organismo, o colesterol fica alto e pode causar a obstrução das arterias”.

    De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 15% das crianças com idade entre 5 e 9 anos têm obesidade e uma em cada três não chegaram ao nível da obesidade, mas estão com peso acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde. 

    Hábitos alimentares inadequados podem gerar aumento das taxas do colesterol que levam à aterosclerose –acúmulo de placas de gordura, colesterol e outras substâncias nos vasos – que podem, por sua vez, levar ao infarto e ao acidente vascular cerebral (AVC), as maiores causas de morte no Brasil e em todo o mundo. Por isso, é importante saber como está a taxa do colesterol e consultar regularmente um médico.

    “A ingestão, desde a infância, de gorduras saturadas, açúcar refinado, sal, excesso de carboidratos e alimentos de alto teor glicídico pode colaborar para o surgimento de doenças cardíacas mesmo em idades precoces. Quando a essas situações se agrega o sedentarismo, aumenta a chance de desenvolvimento de sobrepeso e obesidade nestes indivíduos. O sobrepeso e a obesidade, por sua vez, costumam ser acompanhados de alterações do colesterol, da pressão arterial e de outros fatores de risco para as doenças cardiovasculares”, afirma a cardiologista e diretora da Socerj, Maria Eliane Campos Magalhães, que recomenda atividade física e alimentação saudável como uma das principais formas de prevenir o colesterol alto.

    Desta forma, se recomenda manter o colesterol controlado desde cedo, pois a aterosclerose muitas vezes se inicia precocemente, mesmo na infância e adolescência, e se agrava ao longo da vida, especialmente em indivíduos que apresentam agregação de fatores de risco cardiovasculares.

    O colesterol passa a ser prejudicial para a saúde quando está fora dos valores normais, pois pode se acumular nas artérias impedindo o fluxo sanguíneo. “O colesterol alto é um importante de risco para diversas doenças, então mantê-lo dentro dos parâmetros normais é essencial”, ressalta Olga.

    A médica indica a aveia como um alimento importante no combate do colesterol e que pode servir como prevenção no dia a dia.

    Valores do colesterol em crianças:

    Ideal – inferior a 110 mg/dL

    Limítrofe – 110-129 mg/dL

    Elevado – acima de 130 mg/dL

     

    Nos adultos:

    Ideal – inferior a 200 mg/dL

    Limítrofe – 200-239 mg/dL

    Elevado – acima de 240 mg/dL

     

    Dicas para prevenir o aumento do colesterol na infância:

    – Alimentação saudável, com frutas (maçã, banana, mamão, laranja), legumes e hortaliças (cenoura, beterraba, abobrinha, abóbora, pepino, agrião, cebola, acelga, couve, brócolis, aipo etc), cereais, raízes e tubérculos (trigo, arroz, milho, centeio, cevada, aveia, pães, massas, batata, cará inhame, mandioca) e grãos (feijão, lentilha, ervilha, soja, grão de bico), gordura saudável (azeite de oliva).

    – Evite o consumo de gorduras saturadas, que são ruins para o organismo, como carnes gordurosas, manteiga, linguiça, leite integral e hambúrgueres.

    – Peixes, especialmente de água fria, como salmão, atum e truta são fontes de ácidos graxos e ômega 3, que são gorduras insaturadas (gordura boa).

    – Prática regular de atividade física (no mínimo 3 vezes por semana).

    – Controle do peso.

    – Reduza o sal da alimentação. Fique atento ao teor de sódio nos produtos industrializados.

    – Reduza o consumo de açúcar, doces, balas e refrigerantes.

    – Evite frituras.

    – Prefira alimentos grelhados ou cozidos.

    Publicado em Nutrição

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *

    Login

    Registrar | Perdeu sua senha?