• HONDURAS SAÚDEHonduras reporta 1º nascimento de bebê com microcefalia associada ao zika
  • (Chamada) SAÚDE ZIKAZika vírus pode permanecer no sêmen mais que o esperado, segundo estudo
  • ZIKA VACINA (Pauta)OMS diz que vacina para zika irá demorar no mínimo 18 meses para ser testada
  • OMS ZIKAOMS recomenda que grávidas adiem viagens para locais com zika
  • OMS ZIKA (Ampliação)OMS: Testes amplos de vacina contra zika só ocorrerão depois de 18 meses
  • (Chamada) OMS ZIKAOMS: Testes amplos de vacina contra zika só ocorrerão depois de 18 meses
  • (Chamada) OMS ZIKAOMS diz que teste de diagnóstico de zika pode estar disponível em semanas
  • AUSTRÁLIA ZIKAAustrália confirma segundo caso de grávida com zika vírus
  • SAÚDE ZIKAAIEA oferece tecnologia à América Latina para detecção antecipada de zika
  • PERU SAÚDEPeru declara emergência em áreas com surto de raiva causada por morcegos
HORMÔNIOS

Testosterona favorece comportamentos agressivos, mas também generosos

Homens podem ficar mais inclinados a buscar “status”, além do grau de agressividade notado em pesquisa

Testosterona favorece comportamentos agressivos, mas também generosos

A testosterona promove comportamentos orientados a alcançar um status social mais elevado, o que significa que está relacionada a atitudes mais agressivas, mas também com outras generosas, apontou um estudo publicado na revista “Proceedings” of The National Academy Sciences (PNAS).

Tradicionalmente, os altos níveis desse hormônio, essencial para o desenvolvimento sexual masculino, mas também presente em menor dose em mulheres, estava associado com a agressividade e a falta de generosidade nos humanos, mas os estudos que buscavam comprovar essas relação eram considerados pouco confiáveis.

Esta nova pesquisa, liderada pelo Instituto de Neurociência do Instituto Trinity College de Dublin, concluiu que a testosterona “pode causar nos homens um comportamento pró-social”, ou seja, que beneficie outros, o que indica que tem um “papel mais complexo” na conduta humana do que se acreditava.

Análise a partir de jogo 

Os 47 participantes do estudo, todos homens jovens, receberam enantato de testosterona ou um placebo, e foram submetidos a uma variação da prova econômica experimental conhecida como “o jogo do ultimato”.

Neste teste, um jogador propõe a outro uma maneira de dividir uma grande soma de dinheiro e, se o segundo aceitar a oferta, ambos recebem a mesma quantidade de dinheiro, mas se ele a rejeita, nenhum dos dois obtém nada.

Para o estudo, o jogo foi modificado: uma vez que os participantes tinham aceitado ou rejeitado uma oferta, tinham a possibilidade de recompensar ou “castigar” o outro jogador por ficar com mais ou menos dinheiro do que o oferecido originalmente.

Testosterona e a busca de homens por status 

“Concluímos que os participantes tratados com testosterona eram mais inclinados a castigar a quem propunha (o trato), e que os níveis altos de testosterona estavam especificamente associados com uma punição maior para os que faziam ofertas injustas”, indicou o estudo.

Mas além disso, “quando os participantes tratados com testosterona recebiam ofertas de quantidades grandes, se mostravam mais inclinados a recompensar quem propunha e também elegiam recompensas maiores”, acrescentou.

“Este aumento de generosidade em um entorno onde não há provocação indica que a testosterona também pode causar comportamentos pró-sociais que são apropriados para melhorar o status”, concluiu o estudo.

“Esta descoberta não se encaixa com (a ideia tradicional de) uma simples relação entre a testosterona e a agressão, e proporciona uma prova causal de que a testosterona tem um papel mais complexo na hora de motivar comportamentos de melhora do status nos homens”, finalizaram os pesquisadores.

Marcados com: ,
Publicado em Saúde de Gênero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?