Tecnologia deve ser pensada para a sociedade, defende ministro neozelandês

Casos de monitoração e diagnósticos remotos são exemplos de serviços de saúde que podem ser feitos diretamente nas comunidades, conforme explicou Hon Steven Joyce

  • mas infoV07. Valencia, 25/11/08.- Aspecto del Centro Superior de Investigación en Salud Pública, dedicado al control de las enfermedades infecciosas, cuya sede se ha inaugurado hoy en Valencia. EFE/Manuel Bruque.Foto: EFE/Manuel BruqueFoto: EFE/Manuel Bruque
Foto: EFE/Manuel Bruque

A tecnologia aplicada à area da saúde deve ser pensada não apenas no âmbito dos hospitais, mas também diretamente nas comunidades, defendeu em entrevista ao EFE Saúde o ministro do Desenvolvimento neozelandês Hon Steven Joyce em sua recente visita ao Brasil com o intuito de observar as pesquisas que estão sendo realizadas no país.

Casos de monitoração e diagnósticos remotos são exemplos de serviços de saúde que podem ser feitos diretamente nas comunidades, conforme explicou Joyce, o que proporcionaria um melhor aproveitamento de fundos pois os hospitais “tem custos muito elevados”.

Joyce afirma que a relação entre o Brasil e a Nova Zelândia nesta área está “em desenvolvimento”, e que “cresceu nos últimos dez anos, com o crescimento econômico do país”.

O ministro também ressaltou que muitos trabalhos conjuntos estão em andamento nas áreas acadêmicas e no setor educativo.

“Mas ainda há muito o que se fazer” – lembra Joyce – “temos que trazer para o Brasil profissionais da educação e desenvolver relações mais fortes com as universidades locais”.

Entre as empresas neozelandesas que estão participando desta integração, Joyce destacou a AD Instruments, que faz “experimentos de sociologia com animais utilizando tecnologias”.

A empresa apresentou uma previsão de crescimento de 10% para 2015 com o aumento no número de hospitais no país.

Marcados com: ,
Publicado em Ciência Médica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?