ZIKA VÍRUS

Rio de Janeiro combate o zika no Sambódromo com a aproximação do Carnaval

As autoridades sanitárias da cidade atuaram também nas zonas onde se encontram a chamada Cidade do Samba e os locais das Escolas de Samba, já que a partir do próximo 5 de fevereiro se reúnem por lá milhares de cariocas e turistas que querem aproveitar de perto os desfiles carnavalescos.

  • mas infoGRA154. RÍO DE JANEIRO, 26/01/2016.- Agentes de la Secretaría Municipal de Salud de Río de Janeiro desinfectaron hoy, 26 de enero de 2016, las instalaciones del Sambódromo, donde a partir del 5 de febrero se comenzaran los desfiles del Carnaval carioca, para prevenir posibles brotes del mosquito Aedes aegypti, transimisor de los virus del Zika, del Dengue y del Chikunguña. El Sambódromo de Río tambien recibirá las pruebas de tiro con arco en los Juegos Olímpicos Río 2016. EFE/Marcelo SayãoEFE/Marcelo SayãoEFE/Marcelo Sayão
EFE/Marcelo Sayão

Agentes da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro fumigaram hoje as instalações do Sambódromo, para prevenir possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus do zika, da Dengue e do chicungunha.

As autoridades sanitárias da cidade atuaram também nas zonas onde se encontram a chamada Cidade do Samba e os locais das Escolas de Samba, já que a partir do próximo 5 de fevereiro se reúnem por lá milhares de cariocas e turistas que querem aproveitar de perto os desfiles carnavalescos.

Estas instalações serão utilizadas também durante os Jogos Olímpicos de Rio 2016, já que no Sambódromo se disputarão as provas de tiro com arco e servirá, além disso, de ponto de partida e de chegada da maratona.

Na segunda-feira passada, a Prefeitura da capital fluminense anunciou que intensificará as inspeções das instalações olímpicas para buscar e eliminar os criadouros do mosquito transmissor destes três vírus, apesar de lembrar que os jogos acontecem durante o inverno no hemisfério sul, quando é menor a presença dos mosquitos.

A notável propagação do zika nos últimos meses levou ao governo brasileiro a declarar o estado de emergência sanitária, ao constatar a relação entre esta doença e o aumento de casos de microcefalia e outras más-formações em recém-nascidos.

Até o momento, as autoridades comprovaram que 224 bebês nasceram desde outubro com esta má-formação devido ao zika e averiguam outros 3.381 possíveis casos.

Por este motivo,o governo iniciou uma operação especial, no qual participam cerca de 250.000 profissionais, com o objetivo de visitar todos os domicílios do país e tentar detectar e destruir os criadouros do mosquito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?