TECNOLOGIA

Rede Social ajuda a monitorar pressão arterial de doentes crônicos

A hipertensão quando não controlada pode trazer inúmeras conseqüências, ou até mesmo ao óbito.

  • Imagem: Reprodução EuPacienteImagem: Reprodução EuPaciente
Imagem: Reprodução EuPaciente

A rede social gratuita EuPaciente fornece aos portadores de doenças crônicas e raras a oportunidade de acompanharem a pressão arterial, conforme a necessidade. Juntamente com a pressão é possível anotar os valores de peso e glicose. “Estes critérios oferecem um acompanhamento de maior relevância para os pacientes”, diz um dos fundadores da EuPaciente, Carlos Paludo.

Segundo a educadora física da Cardio Team Assessoria Esportiva, Mayara Alves dos Santos, a hipertensão arterial é uma doença silenciosa, e a única maneira de saber se seus valores estão normais é fazendo a aferição. “Não basta uma única medida para diagnosticá-la”, ressalta.

A hipertensão quando não controlada pode trazer inúmeras conseqüências, ou até mesmo ao óbito. Segundo Paludo, é fundamental que o paciente seja avaliado por um profissional regularmente e mantenha seu organismo equilibrado. “Através dos nossos medidores é possível que o paciente crie um histórico clínico que aliado ao acompanhamento médico pode oferecer uma melhor qualidade de vida aos nossos usuários”, observa.

EuPaciente é uma rede social gratuita que permite aos portadores de doenças crônicas e raras a oportunidade de conviverem melhor com suas enfermidades, através de suas ferramentas oferece aos seus integrantes a oportunidade de compartilhar conhecimento e sentimentos com quem vive situações semelhantes, além de um acompanhamento clínico que possibilita um maior controle de suas patologias.

É a primeira rede social do país focada no paciente. Mais de 8,5 mil pessoas trocam experiências sobre suas doenças, por intermédio das ferramentas de relacionamento disponibilizadas.

Além da troca de informações, é possível o agrupamento de exames, documentos e receitas médicas num único ambiente, facilitando ao paciente e a equipe médica avaliar o quadro clínico e a evolução histórica do caso. “Nosso objetivo é fornecer um recurso adicional para o acompanhamento das manifestações de cada enfermidade, jamais substituir os profissionais da saúde, mas sim agir de forma complementar”, finaliza Paludo.

Marcados com: ,
Publicado em Dicas e curiosidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?