Problemas no crescimento infantil estão ligados à gravidez

Estudo mostra que 25% dos problemas de crescimento infantil nos países em desenvolvimento está associado com situações vividas durante a gravidez.

  • mas infoFRA01 MANILA (FILIPINAS) 21/06/07 : La filipina Rowena Reyes amamanta a su bebé en un hospital público en un suburbio de Manila, Filipinas, hoy jueves 21 de junio. La Organización Mundial de la Salud (OMS) y el Fondo de Naciones Unidas para la Infancia (UNICEF) han advertido que la tasa de lactancia materna está cayendo en el este de Asia y el Pacífico y que esto supone 'una amenaza alarmante contra la supervivencia de los niños'. Anupama Rao Singh, director regional de UNICEF para el Este de Asia y el Pacífico, pidió a los gobiernos que apoyen las campañas de lactancia materna. EFE/Francis R. MalasigFoto ilustrativa. EFE/Francis R. MalasigFoto ilustrativa. EFE/Francis R. Malasig
Foto ilustrativa. EFE/Francis R. Malasig

Um estudo canadense apontou que 25% dos problemas de crescimento infantil nos países em desenvolvimento estão associados a situações vividas durante a gravidez, como os nascimentos prematuros ou o baixo peso ao nascer.

A pesquisa, financiada pelo governo canadense através da organização Grand Challenges Canadá (GCC), indicou que, em 2011, 36% das crianças de 137 países em desenvolvimento, 44 milhões de crianças sofriam de atrasos de crescimento.

E em um quarto desse número, 10,8 milhões de crianças, as causas dos atrasos de desenvolvimento eram atribuíveis ao pequeno tamanho dos bebês no momento do nascimento.

Falta de saneamento e desnutrição: principais ameaças

O médico Goodarz Danaei, autor principal do estudo e professor assistente da Escola Harvard Chan, nos Estados Unidos, explicou que os resultados indicam “a importância das intervenções antecipadas, antes e durante a gravidez, especialmente dos esforços de luta contra a desnutrição”.

“A melhora da água e do saneamento têm um grande impacto para reduzir os riscos de atrasos de desenvolvimento no mundo todo”, acrescentou Danaei.

Diferenças regionais no crescimento infantil

O professor Danaei indicou que, enquanto em regiões como o sudeste asiático, a África Subsaariana e o Pacífico, as causas do atraso de crescimento infantil estão diretamente relacionadas à qualidade da água potável e do saneamento, na América Latina e no Caribe a desnutrição e as infecções são os principais problemas.

Por exemplo, na região andina e América Central, as diarreias infantis têm três vezes mais impacto nos atrasos de crescimento que no resto da América Latina.

Danaei indicou que os números de 2011 colocam a taxa de atraso de crescimento na Colômbia em 14%, na República Dominicana em 10%, El Salvador em 20% e Haiti em 24%.

O médico Peter Singer, diretor da Grand Challenges Canadá, destacou que, “saber os principais fatores de risco para o atraso, o custo global do baixo crescimento infantil e o número de crianças que não alcançam parâmetros de desenvolvimento são peças-chave de informação para assegurar que as crianças não só sobrevivam, mas prosperem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?