AMÉRICA LATINA SAÚDE

OPAS fixa como meta cobertura universal de saúde na América Latina até 2030

A Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030 estabelece 11 objetivos e 60 metas que vão desde atingir a cobertura universal em saúde até acabar com a epidemia de HIV/Aids na região.

  • EFE/Roberto EscobarEFE/Roberto Escobar
EFE/Roberto Escobar

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) fixou como objetivos da agenda 2018-2030 a cobertura universal e acabar com a epidemia de Aids na região.

“A Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030, que se inspira na Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável da ONU, estabelece 11 objetivos e 60 metas que vão desde atingir a cobertura universal em saúde até acabar com a epidemia de HIV/Aids na região”, indicou hoje a organização em comunicado.

Esse foi um dos resultados da 29ª Conferência da OPAS, o encontro quinquenal que reúne os ministros de Saúde do continente na sede do órgão em Washington, nos Estados Unidos.

No encerramento da reunião nesta sexta-feira, a diretora da OPAS, Carissa Etienne, comemorou os acordos regionais para fortalecer as estatísticas de saúde, o controle do tabaco e também de manutenção das políticas para a eliminação do sarampo, da rubéola e da rubéola congênita.

Além disso, ela destacou a “necessidade crítica” de reduzir as desigualdades na região e celebrou o pedido de atenção feito pelos países para abordar os efeitos da mudança climática sobre a saúde.

Na quarta-feira, os ministros de Saúde reelegeram Etienne como diretora da OPAS para um segundo mandato de cinco anos. A candidatura, apresentada por Dominica, era a única da eleição.

Na conferência também foi apresentado o relatório “Saúde nas Américas 2017”. A principal conclusão do estudo foi que a população do continente vive quase cinco anos a mais do que a média mundial, mas o avanço é tão desigual como a região, onde os mais pobres seguem sofrendo com a falta de acesso à saúde e a outros serviços básicos, como água potável.

“Vivemos mais anos de vida e morremos menos por causas que podemos evitar, mas esse ganho não foi igual”, alertou a diretora.

A expectativa de vida na América subiu para 75 anos, quase cinco a mais do que a média mundial e 16 acima da média regional há 45 anos, segundo a OPAS. No entanto, persistem desafios como as doenças não transmissíveis, que provocam quatro de cada cinco mortes.

Fundada em 1902, a OPAS é a organização internacional de saúde pública mais antiga do mundo e atua como escritório regional para a América da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Marcados com: , , ,
Publicado em Saúde e Bem-estar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?