OMS alerta sobre publicidade digital de alimentos para crianças

A OMS advertiu para o perigo da publicidade de alimentos com muita gordura, sal e açúcar para crianças através de redes sociais ou videogames, e sua relação com os índices de obesidade infantil.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu para o perigo da publicidade de alimentos com elevadas quantidades de gordura, sal e açúcar voltada a crianças através de redes sociais ou videogames, o que contribui para aumentar os índices de obesidade infantil.

Um relatório publicado pelo escritório regional para a Europa da OMS pediu ações imediatas para responder ao crescente uso deste tipo de publicidade oculta na imprensa e nas mídias digitais.

Crianças são público mais vulnerável

Diante da ausência em muitos países de regulações eficientes para os veículos de imprensa, as crianças se encontram cada vez mais expostas a técnicas de marketing persuasivas e projetadas para cada grupo específico, através de páginas de redes sociais e dos chamados “advergames”, videogame feito a pedido de uma empresa para divulgar uma marca ou um produto, indicou a OMS.

Esta tendência persiste apesar dos elevados níveis de obesidade infantil em grande parte da Europa. “Nossos governos deram a mais alta prioridade política à prevenção da obesidade infantil, mas vemos constantemente que as crianças estão expostas a incontáveis técnicas de marketing digital ocultas que promovem alimentos com elevados conteúdos de gordura, açúcares e sal”, afirmou a diretora regional para a Europa da OMS, Zsuzsanna Jakab.

Jakab explicou que os pais podem desconhecer o impacto prejudicial deste tipo de publicidade porque frequentemente não veem os mesmos anúncios ou não observam as atividade de seus filhos na internet, “o que faz muitos subestimarem o alcance do problema”, afirmou a diretora da OMS.

OMS pede mais regulamentação de gadgets

A OMS propôs disposições regulamentares que estendam a rede de proteção às crianças e que definam claramente as idades que devem ser protegidas e os tipos de ações de marketing afetados.

A geolocalização através de telefones celulares, por exemplo, permite às empresas de marketing oferecer em tempo real anúncios e ofertas digitais especiais quando os usuários estão em uma região em que se vende um produto específico, estimulando-os a “entrar na loja e comprá-lo”, afirmou a OMS.

Algumas redes alimentares se associaram com companhias de videogames para fazer do estabelecimento uma localização importante para o jogo, como é o caso do Pokémon Go.

A publicidade digital pode ser distribuída através de várias plataformas, tais como videogames com anúncios, redes sociais e desenhos animados, mas também através de pessoas com influência, como videobloggers e youtubers.

O perigo também está nas crianças embarcarem em experiências de entretenimento emocionais que queiram compartilhar com seus amigos, afirmou o escritório regional para a Europa da OMS.

“Mais do 60% das crianças com sobrepeso antes da puberdade terá sobrepeso na fase jovem da idade adulta e aproximadamente 25% das crianças em idade escolar na Europa já têm sobrepeso ou obesidade”, explicou o diretor da divisão de Doenças Não Transmissíveis e Promoção da Saúde da região para Europa da OMS, Gauden Galea.

“Isso sugere um futuro sombrio, já que sabemos que o sobrepeso e a obesidade são fatores-chave, que contribuem para doenças cardiovasculares, câncer e diabetes”, advertiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?