NUTRIÇÃO

Mitos e verdades sobre as propriedades terapêuticas dos chás

Com a diversidade oferecida pela natureza, são muitas as aplicações, inclusive no tratamento e cura de doenças

  • EFE/Robin TownsendEFE/Robin Townsend

Não só para os dias de frio é que servem as inúmeras opções de chás e infusões. Com um leque de sabores agradáveis e  propridades terapêuticas e curativas, é imprescindível  conhecer bem sobre o poder das ervas não só para extrair o melhor delas – afinal, com a diversidade oferecida pela natureza, são muitas as aplicações, inclusive no tratamento e cura de doenças -, mas também para conhecer os riscos do consumo inadequado.

“Chás com ação anti-inflamatória, por exemplo, podem ser recursos paliativos de processos inflamatórios agudos, como a garra-do-diabo e a unha de gato. Os chás podem ainda ajudar na recuperação dos sintomas da gripe, como febre-mal-estar e nas dores pelo corpo. O alho é o clássico neste sentido. E que pode ser misturado ao suco de limão também, para melhor adesão”, disse Leandro Medeiros, farmacêutico e coordenador da pós-graduação de fitoterapia clínica e esportiva do Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE).

A respeito do modo de consumo,  Medeiros esclareceu que obter o efeito terapêutico das infusões depende de muitos fatores, um exemplo é a romã e chás de frutas vermelhas, devem ser utilizados entre as refeições para serem melhor absorvidos, uma vez que podem interagir negativamente com os nutrientes dos alimentos.

Com relação ao modo de preparo, o farmacêutico afirmou que a melhor forma para obter o máximo de benefícios depende da parte da planta utilizada e da sua composição química.

“Normalmente, se faz por infusão, ou seja, quando se coloca água quente sobre a planta. É o caso, por exemplo, do chá verde e hibisco, quando se usam suas folhas e flores. Mas se a parte em questão é mais lenhosa, de difícil extração, o correto é cozinhar, processo que chamamos de decocção”, explicou.

Também de acordo com Medeiros, o uso das planta fresca em relação aos sachês, os quais contêm a planta seca, não apresenta grandes vantagens se o fim for um uso “recreativo”, já que a variação será apenas na quantidade de planta a ser utilizada, e é interessante buscar orientações profissionais para saber as quantidades ideias, pois variam de planta a planta.

O especialista alerta, entretanto, que se a finalidade for medicinal, é recomendável comprar chás medicinais, vendidos em farmácias, os quais têm uma qualidade muito maior que os dois tipos de produto.

Marcados com: , ,
Publicado em Nutrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?