VISÃO

Miopia afeta 25% da população mundial e percentual tende a aumentar

É causa de preocupação no mundo todo devido a sua maior prevalência e sua rápida progressão.

  • mas infoHAB01. LA HABANA (CUBA), 15/04/08.- Un niño discapacitado y con miopía severa ejercita la vista con la ayuda de equipo médico, hoy, 15 de mayo de 2008, en la escuela para niños con necesidades especiales "Solidaridad con Panamá" en La Habana (Cuba). EFE/Alejandro ErnestoFoto: EFE/Alejandro ErnestoFoto: EFE/Alejandro Ernesto
Foto: EFE/Alejandro Ernesto

Um quarto da população mundial sofre de miopia, porcentagem que pode chegar a um terço nos próximos anos, indicaram os especialistas que participaram da I Jornada Ibero-americana neste fim de semana na cidade espanhola de Ponta Úmbria.

O oftalmologista português Jorge Manuel Martins, professor da Escola de Ciências da Universidade do Minho, de Portugal, destacou que a miopia “é causa de preocupação no mundo todo devido a sua maior prevalência e sua rápida progressão”.

Destacou como fatores de risco mais relacionados com o desenvolvimento e a progressão da miopia a excessiva demanda acomodativa da visão de perto, a refração periférica e a falta de atividades ao ar livre.

O especialista em Oftalmologia na Unidade de Oculoplástica e Unidade de Oftalmologia Infantil da Clínica Qvision, do Hospital Vithas Virgem do Mar de Almería, na Espanha, Juan Antonio Jiménez, centrou sua exposição no estado atual e nas últimas tendências de cirurgia refrativa de miopia.

Durante sua conferência, comentou que “na última década houve uma mudança de paradigma em torno da cirurgia refrativa, graças à chegada do laser de femtosegundo, que permitiu procedimentos cada vez mais seguros e com uma menor afetação da fisiologia corneal”.

Por isso, destacou que “é de vital importância que o oftalmologista conheça todas e cada uma destas técnicas, para assessorar seus pacientes sobre a mais adequada, atendendo sua fisiologia ocular, assim como ajudá-los a entender as mudanças fisiológicas e ópticas que a cirurgia produz”.

Enquanto, o responsável pela Unidade de pesquisa da Oftalmar (Hospital Internacional Medimar, de Alicante), o espanhol David Pedro Piñero Llorens, explicou que “o desenvolvimento e a progressão da miopia são influenciados por diversos fatores, como a luz natural e o exercício físico”.

Baseando-se em diversos estudos, ele pôde detectar “uma associação negativa entre tempo ao ar livre e miopia, ou seja, que à medida que se passa mais tempo ao ar livre a taxa de progressão da miopia é mais lenta, sobretudo em meninos”.

O congresso, que termina hoje, conta com a participação de mais de 300 profissionais e especialistas em saúde visual da Espanha, Portugal e Colômbia.

Marcados com: ,
Publicado em Doenças e Tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?