LESÕES OCULARES

Ministério da Saúde avalia casos de lesões oculares decorrentes da zika

Os números do governo brasileiro apontam que os casos de microcefalia e má-formação do sistema nervoso chegaram a 1.434, desde 2015, e que há 3.257 casos suspeitos.

  • mas infoHAB01. LA HABANA (CUBA), 15/04/08.- Un niño discapacitado y con miopía severa ejercita la vista con la ayuda de equipo médico, hoy, 15 de mayo de 2008, en la escuela para niños con necesidades especiales "Solidaridad con Panamá" en La Habana (Cuba). EFE/Alejandro ErnestoFoto: EFE/Alejandro ErnestoFoto: EFE/Alejandro Ernesto
Foto: EFE/Alejandro Ernesto

Um estudo publicado na revista da Academia Americana de Oftamologia, feito por pesquisadores brasileiros e da Universidade de Stanford, apontou que o vírus zika pode estar ligado também a lesões oculares, verificadas em bebês nascidos em Pernambuco.

“Temos informações de casos de crianças nascidas no Nordeste com problemas oculares, além de má formação, mas ainda não temos conclusões sobre isso, embora haja sinais de que possam ser casos mais complicados de zika”, disse à Agência Efe o chefe de gabinete da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, Alexandre Fonseca Santos.

O estudo traz a tona o caso de três recém-nascidos com microcefalia, filhos de mães que teriam contraído zika durante o primeiro trimestre da gestação. Os problemas oculares apresentados por eles, não tinham sido observados anteriormente em outros casos.

Os próprios pesquisadores admitem que se trata de um número limitado de pacientes, mas que as conclusões “se somam às crescentes informações clínicas de que a zika pode afetar o desenvolvimento dos olhos e da visão das crianças”. O grupo ainda avalia se a infecção é causa das anomalias ou se foram induzidas pela microcefalia.

“Temos pessoas acompanhando mulheres grávida no Rio de Janeiro e no Nordeste”, disse Fonseca Santos, que participa em Genebra da Assembleia Mundial da Saúde.

Segundo o funcionário do Ministério, desde o início do surgimento dos casos de zika, foram verificadas diversas formas de má formação, além das cerebrais, como as oculares, surdez, mas que também há casos de crianças que nasceram sem qualquer problema de saúde.

“Talvez, quando tiverem de dois até sete anos, quando começarem os estudos, podem apresentar algum atraso na aprendizagem. Ainda não sabemos”, admitiu Fonseca Santos.

Os números do governo brasileiro apontam que os casos de microcefalia e má-formação do sistema nervoso chegaram a 1.434, desde 2015, e que há 3.257 casos suspeitos.

Marcados com: , ,
Publicado em Ciência Médica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?