PNS 2013

Mais da metade de adultos brasileiros têm excesso de peso, aponta pesquisa

A pesquisa, que está em sua primeira edição, visitou 81.767 casas em todos os estados brasileiros no segundo semestre de 2013, entre as quais 62.986 aceitaram responder ao questionário do IBGE

  • Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação
Foto: Divulgação

No Brasil, 56,9 % de adultos com mais de 18 anos têm excesso de peso, isto é, 82 milhões de pessoas apresentaram um Índice de Massa Corpórea acima de 25, incluindo os portadores de obesidade, segundo divulgou hoje a Pesquisa Nacional de Saúde 2013.

Segundo a pesquisa, a obesidade atingiu um em cada cinco brasileiros de 18 anos ou mais em 2013 (20,8%), onde uma em cada quatro (24,4 %) das mulheres de 18 anos ou mais era obesa em 2013, enquanto, entre os homens, o percentual era de 16,8%.

Os resultados também mostram que o excesso de peso aumenta com a idade de modo mais rápido para os homens, que na faixa de 25 a 29 anos chega a 50,4%, e nas mulheres a prevalência é mais alta na faixa etária de 35 a 44 anos.

Neste raio-x das condições de saúde brasileira, o PNS 2013 revelou que o déficit de peso em adultos com 18 ou mais anos foi de 2,5 % e com isso não há exposição à desnutrição da população adulta.

O estudo, ainda, apresentou dados sobre saúde da mulher, exames de rotina, gravidez e aborto. Cerce de 15% das mulheres de 18 a 49 anos, sexualmente ativas e que ainda menstruavam, declararam já ter sofrido aborto espontâneo e 2,1% delas disseram já terem tido um aborto provocado.

Quanto aos exames de rotina, 79,4% das mulheres de 25 a 64 anos disseram ter feito o Papanicolau – exame usado para detecção precoce de câncer de colo do útero – nos três anos anteriores à pesquisa.

Entre as mulheres com idade entre 50 e 69 anos, 60% declarou ter feito mamografia, teste usado para detecção precoce de câncer de mama, nos dois anos anteriores à pesquisa.

Sobre gravidez, a idade média na qual as mulheres tiveram sua primeira gestação foi 21 anos em 2013 e aquelas com menor nível de instrução, 19 anos, ao passo que, entre as mulheres com nível superior completo, isso ocorreu aos 25 anos.

A PNS também revelou que 6,2% da população tinha ao menos uma das quatro deficiências investigadas (intelectual; física; auditiva e visual).

A publicação feita em parceria com o Ministério da Saúde divulgou os resultados em três etapas, em que a primeira divulgação ocorreu em dezembro de 2014, com dados sobre estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas.

A segunda etapa de resultados com dados sobre acesso e utilização dos serviços de saúde, acidentes e violências foi apresentada em junho deste ano.

A pesquisa, que está em sua primeira edição, visitou 81.767 casas em todos os estados brasileiros no segundo semestre de 2013, entre as quais 62.986 aceitaram responder ao questionário do IBGE.

Todos os entrevistados tiveram peso, altura, circunferência da cintura e pressão arterial medidos, 25% tiveram também amostras de sangue e urina coletadas para exames.

A pesquisa completa está detalhada no site do IBGE, que pode ser acessado aqui.

Marcados com:
Publicado em Saúde de Gênero     Saúde e Bem-estar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?