CIÊNCIA

Japonês quer gerar órgãos humanos em porcos para transplante de células

Se realizará testes nos próximos meses com a ideia de poder utilizar suas descobertas na medicina regenerativa dentro de cinco a dez anos.

  • mas infoSTG11 SILLEDA (PONTEEVDRA), 13/06/07.- Un ejemplar de porco celta, la raza porcina original de Galicia, es mostrado en la XXX edición de la Feria Internacional Semana Verde de Galicia que se celebra en Silleda. EFE/Lavandeira jrFoto: EFE/Lavandeira jrFoto: EFE/Lavandeira jr
Foto: EFE/Lavandeira jr

O professor Hiromitsu Nakauchi vai começar em agosto uma série de experimentos para desenvolver órgãos humanos em porcos, cujas células poderão ser utilizadas depois no tratamento de pessoas, informou nesta quinta-feira o jornal “Nikkei”.

Nakauchi, professor nas Universidades de Tóquio e Stanford (Estados Unidos), realizará os testes nos próximos meses no campus da universidade californiana com a ideia de poder utilizar suas descobertas na medicina regenerativa dentro de cinco a dez anos.

Seu experimento vai usar células-tronco pluripotentes induzidas (iPS), que podem se transformar em qualquer tipo de tecido, para gerar os órgãos humanos.

O primeiro passo será inocular as células iPS humanas que foram programadas para gerar, por exemplo, tecido pancreático em embriões de porco, que, por sua vez, foram modificados para que fossem gerados sem pâncreas.

Em seguida, o embrião será implantado em uma fêmea de porco e espera-se que o filhote nasça com um pâncreas humano graças às iPS.

Nakauchi já conseguiu fazer com que um porco programado para não ter pâncreas nascesse com um, mas que, no entanto, foi gerado a partir de células iPS suínas.

Para o cientista japonês, esta técnica não seria utilizada para realizar transplantes completos de pâncreas, mas para o transplante de células pancreáticas, uma técnica mais simples que é utilizada atualmente em pacientes diabéticos.

Uma vez transplantadas, estas células podem começar a produzir insulina, a substância responsável por regular o nível de açúcar no sangue.

Os experimentos de Nakauchi são similares aos de outro cientista, o bioquímico espanhol Juan Carlos Izpisúa, do Instituto Salk de La Jolla, também nos EUA, que está fazendo estudos para introduzir células-tronco humanas em embriões de porco e obter outras células que possam ser usadas em transplantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?