VÍRUS H1N1

Hospitais de São Paulo entram na luta contra H1N1

Federação alerta hospitais sobre o aumento significativo de casos de H1N1 no Estado de São Paulo e a necessidade de adotar medidas imediatas para controle do fluxo desses pacientes nos serviços de emergência.

  • mas info***CORRECCIÓN. REENVIAR Y AÑADIR NOMBRE FOTÓGRAFO*** AHKG12 HONG KONG (CHINA) 02.05.09.- Varios turistas y personal médico con mascarillas en el hotel de Metropark de Hong Kong, China, donde un huésped mexicano ha dado positivo por gripe A (H1N1) hoy sábado 02 de mayo. Alrededor de doscientos turistas y cien trabajadores han sido puestos en cuarentena durante una semana. De momento 16 países han registrado casos positivos de esta enfermedad. EFE/Alex HoffordFoto: EFE/Alex HoffordFoto: EFE/Alex Hofford
  • Foto: EFE/Alex Hofford

O Programa Nacional de Imunizações começou esta semana sua campanha de vacinação contra o vírus H1N1, para trabalhadores da área de saúde, adiantando o calendário do país devido ao aumento de casos deste tipo de gripe no País. Enquanto a vacina não está disponível para todos, a Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Fehoesp), divulgou medidas emergenciais para controle nos prontos-socorros (PS) dos hospitais paulistas, com o objetivo de evitar a transmissão do vírus H1N1 na espera por atendimento.

“Houve um aumento significativo de casos da doença nos hospitais particulares no mês de março, tornando-se fundamental nesse momento a adoção de medidas de segurança nos hospitais”, afirmou Yussif Ali Mere Junior, presidente da Fehoesp e do Sindhosp. “Estamos recomendando que os serviços de emergência atentem para os casos de suspeita de H1N1 e na própria triagem ofereçam máscaras a esses pacientes”.

A Federação sugeriu também que os hospitais criem alas específicas para atender os infectados e os acomodem em local separado da maioria dos outros pacientes do PS. “Essas medidas simples estão sendo adotadas por grandes hospitais da capital, mas precisam ser ampliadas para os demais em todo o Estado”, destaca Yussif.

Com informações em seu site, boletins e informativos dirigidos aos hospitais em todo o Estado, a Fehoesp lançou sua campanha com informações técnicas para alertar os hospitais sobre o aumento significativo de casos da influenza A(H1N1) no Estado de São Paulo e a necessidade de adotar medidas imediatas para controle do fluxo desses pacientes nos serviços de emergência.

“O pronto-socorro é a porta de entrada do sistema de saúde e esse serviço possui importante papel nesse momento de surto quando dezenas de pacientes com suspeita da doença procuram os PS dos hospitais”, alerta o representante da Federação.

Para o presidente da Fehoesp, o primeiro atendimento e o diagnóstico rápido e preciso são fundamentais para o imediato tratamento do paciente infectado, impedindo que este paciente transmita o vírus a outros membros de sua comunidade, bairro ou cidade.

A campanha da Federação reproduz em seu site informações técnicas sobre a doença, seu diagnóstico e tratamento de acordo com orientações do Ministério da Saúde.

Vacinas no setor privado

A antecipação do aparecimento do H1N1 no país, com maior incidência no Estado de São Paulo, promoveu uma corrida de pessoas a procura da vacina em centros de imunização particulares, já que a vacina que só será disponibilizada inicialmente pelo poder público para grupos de risco. Segundo levantamento da Fehoesp, os centros de imunização particulares já oferecem a vacina. Mas há grande dificuldade para encontrar a vacina neste momento.

Marcados com: , ,
Publicado em Ciência Médica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?