Hiperplasia da Próstata

Hiperplasia da próstata: saiba mais sobre a doença que atingiu o rei Pelé

Depois de receber alta médica, o rei do futebol deixou o hospital Albert Einstein, em São Paulo, quatro dias após cirurgia por causa de um quadro de hiperplasia da próstata.

  • mas infoBRA03-SAO PAULO-(BRASIL)-27/05/04-El ex futbolista brasileño Edson Arantes do Nascimento "Pelé" durante una rueda de prensa por el lanzamiento de la película sobre su vida "Pelé Eterno" hoy, jueves, 27 de mayo en el Hotel Unique, en Sao Paulo , Brasil. EFE/Caetano BarreiraEFE/Caetano BarreiraEFE/Caetano Barreira
EFE/Caetano Barreira

Depois de receber alta médica, o rei do futebol brasileiro, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, deixou o hospital Albert Einstein, em São Paulo, quatro dias após cirurgia por causa de um quadro de hiperplasia da próstata.

Com 74 anos, Pelé foi submetido no último dia 5 de maio a uma operação de ressecção transuretral da próstata – uma cirurgia feita para acabar com uma hiperplasia, um problema que causa retenção de urina e pode acarretar em uma infecção.

“A hiperplasia da próstata é o aumento que ocorre na próstata ao longo dos anos, geralmente percebido pelos homens quando se passam dos 50”, disse ao EfeSaúde o urologista Carlos Sacomani, diretor da Sociedade Brasileira de Urologia.

Sacomani ressaltou que a doença do eterno jogador é conhecida como hiperplasia benigna da próstata, anomalia provocada por um aumento do órgão, que não está relacionado ao aparecimento de câncer: “Eles podem até acontecer simultaneamente, mas nunca relacionados”.

O urologista explicou que não há estatísticas referentes ao aparecimento da hiperplasia de próstata, isso porque se trata de uma condição “quase natural” do envelhecimento dos homens.

“Não sabemos dizer as causas da hiperplasia, mas considera-se que o principal fator é o genético, já que se observa que é mais comum um homem desenvolver a hiperplasia caso o pai ou o avô já tenham apresentado quadros semelhantes”, contou Sacomani.

A uretra, por onde passa a urina, fica junto a próstrata e quando há um aumento neste órgão, ela pode bloquear o canal da uretra, dificultando o ato de urinar no paciente.

Diagrama ilustrando a próstata normal (esquerda) e a próstata com hiperplasia benigna (direita). Foto Wikimedia Commons.

Entre os sintomas também se nota a alta frequência em urinar, a sensação de não conseguir esvaziar a bexiga e os jatos de urina inconstantes.

“Existem várias formas de tratamento, que podem ir desde medicamentos, que diminuem a próstata ou dilatam a uretra, permitindo que a obstrução seja resolvida, até tratamentos cirúrgicos”, destacou o urologista.

Conhecida popularmente como a “raspagem da próstata”, o médico explicou que a Ressecção Endoscópica, tratamento cirúrgico mais comum de combate à hiperplasia, trata-se basicamente de se entrar com uma câmera pela uretra e desobstruir o caminho.

“Hoje com os equipamentos modernos, a cirurgia se tornou muito segura”, garantiu Sacomani. Após a cirurgia o paciente costuma ter entre 2 ou 3 dias repouso para uma recuperação simples.

Não há prevenção para a doença, mas exames de rotina contribuem para um diagnóstico precoce o que contribui para melhorar as formas e condições de tratamento.

O que é uma próstata aumentada?

A próstata é uma glândula reprodutiva masculina que produz o fluido que, junto com os espermatozoides, constitui o sêmen. Quando a glândula aumenta, temos a hiperplasia de próstata, também chamada de HPB.

Sintomas:

Retardo na micção, interrupção involuntária e diminuição da “força” do jato, sensação de esvaziamento incompleto, gotejamento no final e micção em dois tempos, além de dores na bexiga e na uretra ao urinar.

Atenção: O aumento da próstata se agrava com os anos e, por isso, é importante consultar um médico.

Causas:

São desconhecidas e, em geral, estão relacionadas ao envelhecimento do homem e aos testículos podem desempenhar um papel no crescimento dessa glândula.

Os fatores de risco são envelhecimento, histórico familiar e origem (a anomalia é menos comum em homens chineses, indianos e japoneses).

Tratamento:

Consulte um médico. Ele definirá se medicamentos ajudarão ou se será necessário cirúrgia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?