EBOLA

Funcionários de saúde de Serra Leoa receberão vacina experimental para ebola

Cerca de seis mil trabalhadores da área de saúde e pessoas que lutam contra o ebola em Serra Leoa receberão uma vacina experimental, anunciaram nesta terça-feira os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

  • mas info- (ESTADOS UNIDOS), 05/08/2014.- Imagen facilitada hoy 5 de agosto de 2014 por el Centro para el Control y Prevención de Enfermedades (CDC) estadounidense que muestra el virus del Ébola. El Departamento de Salud Pública (CPH) de la ciudad de Columbus (Ohio) confirmó hoy que se investiga un posible caso de ébola en una mujer de 46 años internada en un hospital local después de regresar a Estados Unidos de un viaje por África Occidental. EFE/Cynthia Goldsmith **SÓLO USO EDITORIAL**Foto: Imagem microscópica do vírus ebola/DivulgaçãoFoto: Imagem microscópica do vírus ebola/Divulgação
Foto: Imagem microscópica do vírus ebola/Divulgação

Cerca de seis mil trabalhadores da área de saúde e pessoas que lutam contra o ebola em Serra Leoa receberão uma vacina experimental, anunciaram nesta terça-feira os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

“Uma vacina segura e efetiva seria uma importante ferramenta para deter o ebola no futuro, e os trabalhadores de primeira linha que foram voluntários para participar tomaram uma decisão que poderia beneficiar trabalhadores de saúde e comunidades nas quais o ebola é um risco”, declarou o diretor dos CDC, Tom Frieden.

O diretor destacou que enquanto se demonstrar a efetividade e segurança da vacina, denominada rVSV-ZEBOV, persistirão na mesma estratégia para deter a epidemia, com a detecção dos casos, identificação de contatos e o isolamento de doentes.

Os testes serão realizados em conjunto com a Universidade de Medicina de Serra Leoa e o ministério da Saúde desse país africano que atualmente realiza o recrutamento de voluntários.

Todos os participantes serão observados durante seis meses depois da administração da vacina para avaliar sua efetividade.

A vacina, que estimula o sistema imunológico, já foi estudada em 800 pessoas na África e Europa, e também no Canadá e nos Estados Unidos, com resultados que demonstram um perfil de segurança “aceitável”.

Apesar de a incidência do ebola na África Ocidental estar decaindo consideravelmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) acredita que o surto é ainda uma emergência sanitária de alcance internacional.

Na semana que terminou em 5 de abril foi registrada a menor incidência de casos de ebola desde a terceira semana de maio de 2014, com 30 infecções.

Em 15 meses, a epidemia de ebola na África Ocidental infectou 25.556 pessoas, entre casos confirmados, prováveis e suspeitos, das quais 10.587 morreram.

A vacina foi desenvolvida pela Agência de Saúde Pública do Canadá com licença para a NewLink Genetics, empresa que trabalha desde 2014 junto com a farmacêutica americana Merck para investigar, desenvolver, produzir e distribuir a vacina.

Marcados com:
Publicado em Doenças e Tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?