Libido feminina

Especialistas dos EUA sugerem aprovação de droga que aumenta libido feminina

Um painel de assessores da Administração de Alimentos e Remédios dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) recomendou nesta quinta-feira à agência a aprovar a comercialização da flibanserina, uma pílula que aumenta o desejo sexual da mulher.

  • mas infoWOL02. TEL AVIV (ISRAEL), 06/02/05.- Varias mujeres israelíes observan un espectáculo erótico durante el festival de sexo que se celebra por primera vez en Tel Aviv, Israel hoy miércoles 6 de febrero. El festival llamado "Sextival" estará abierto del 5 al 7 de febrero y ofrecerá a los visitantes una muestra de arte erótico, accesorios eróticos, actuaciones en vivo y diversas clases de técnicas sexuales. EFE/Pavel WolbergEspecialistas dos EUA sugerem aprovação de droga que aumenta libido feminina
Especialistas dos EUA sugerem aprovação de droga que aumenta libido feminina

Um painel de assessores da Administração de Alimentos e Remédios dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) recomendou nesta quinta-feira à agência a aprovar a comercialização da flibanserina, uma pílula que aumenta o desejo sexual da mulher.

O grupo de especialistas apoiou a medicação, e sugere que seja colocada à venda com as advertências sobre seus efeitos secundários, que neste caso são possíveis desmaios e diminuição da pressão arterial.

A FDA rejeitou em outras duas ocasiões anteriores o composto depois de outros painéis de assessoria concluírem que havia dúvidas sobre sua segurança, e não considerava haver provas suficientes que demonstrassem que o fármaco é eficaz para as mulheres com pouco apetite sexual.

A Sprout Pharmaceuticals, fabricante da flibanserina, apresentou novos estudos sobre a droga que finalmente convenceram os especialistas de que o produto está pronto para ser lançado no mercado.

Entre essas provas, a companhia incluiu um estudo que afirma que as mulheres podem dirigir com segurança após usar o remédio, uma das maiores preocupações sobre o composto, já que pode provocar inércia no dia seguinte de ser ingerida.

“A revisão da flibanserina representa um marco fundamental para as milhões de mulheres americanas e os casais que vivem com a angústia de uma situação sem tratamento médico aprovado até hoje”, disse Cindy Whitehead, a presidente da Sprout, antes da avaliação dos assessores.

A flibanserina, que a companhia planeja vender sob o nome “Addyi”, modifica três substâncias químicas chave para o cérebro, aumentando a dopamina e a norepinefrina e diminuindo a serotonina.

O fármaco foi objeto de debate, já que a Organização Nacional para a Mulher e outras associações feministas acusaram a FDA de estar submetendo esta medicação a maiores escrutínios do que as projetadas para aumentar a libido masculina, como Viagra e Cialis.

Marcados com: , ,
Publicado em Saúde sexual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?