DIA DO CANCER

Dia Mundial do Câncer: o combate à doença ganha mais força

Foi aprovado no Brasil um novo medicamento para o tratamento de câncer renal avançado

  • Foto: Reprodução de células da câncer de mamaFoto: Reprodução de células da câncer de mama
Foto: Reprodução de células da câncer de mama

No dia 4 de janeiro se celebra no mundo todo o Dia do Câncer, data para lembrar dos riscos da doença e celebrar as inovações e descobertas no tratamento desta enfermidade que entre 2016 e 2017 afetará 596 pacientes com novos casos, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O tipo de câncer mais incidente em ambos os sexos, ainda segundo o Inca, será o de pele não melanoma (175.760 casos novos a cada ano, sendo 80.850 em homens e 94.910 em mulheres), que corresponde a 29% do total estimado.

Para pacientes diagnosticados com o tipo mais comum de câncer renal, o RCC avançado que esteve historicamente entre os tumores mais resistentes ao tratamento, uma boa notícia, foi aprovado no Brasil um novo medicamento para o tratamento de câncer renal avançado

Dados publicados pelo Globocan, um projeto da Organização Mundial da Saúde, apontam que, em 2012, 6.255 pessoas receberam o diagnóstico de câncer de rim no Brasil, sendo 3.761 homens e 2.494 mulheres. O câncer renal está entre os 10 tipos de tumores mais comuns em homens e mulheres. No geral, o risco de desenvolver a doença é cerca de 1 em 63 (1,6%). Este risco é maior em homens do que em mulheres.

O medicamento Inlyta (axitinibe) foi autorizado nesta semana pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A terapia, indicada para o tratamento de pacientes com carcinoma de células renais avançado (RCC, sigla em inglês para renal cell carcinoma), um tipo avançado de câncer de rim, está aprovada desde 2012 pelo Food and Drug Administration (FDA).

Axitinibe é uma terapia oral e estudos clínicos realizados com o medicamento apresentaram resultados sólidos de superioridade em relação à terapia-padrão utilizada no estudo pivotal, o que o coloca como uma das principais opções de tratamento para os pacientes que não respondem mais a uma primeira linha de tratamento do câncer de rim metastático (avançado). O medicamento inibe o crescimento de novos vasos sanguíneos que aumentam o tumor e favorecem a progressão.

“Atualmente, novos medicamentos têm mudado a história do tratamento do câncer de rim. Antes, esta era uma doença praticamente sem opções terapêuticas. Hoje, o câncer de rim já pode ser considerado tratável, por meio de medicamentos que aumentam a sobrevida e melhoram a qualidade de vida dos pacientes”, afirma Eurico Correia, diretor médico da Pfizer Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?