Ciência Médica

Cientistas conseguem recuperar funções cardíacas com células iPS

Cientistas japoneses conseguiram reativar as funções cardíacas de ratos que sofreram ataque no coração, transplantando lâminas derivadas de células pluripotentes induzidas (iPS) no coração.

  • mas infoSHM03 - TUCSON (AZ, EEUU), 10/02/06.- El doctor Richard Smith, subdirector del Departamento de Corazón Artificial del Centro Médico de la Universidad de Tucson (UCM) muestra un corazón artificial como el que se le implantó a Tiana López, una niña de 15 meses de Tucson que tenía un corazón dos veces más grande que el de su tamaño normal. El corazón es conocido como "Berlín", pues procede de Alemania y fue desarrollado específicamente para niños pequeños, permitiendo que el corazón del menor descanse mientras una máquina hace su trabajo. EFE/Gary WilliamsEFE/Gary WilliamsEFE/Gary Williams
EFE/Gary Williams

Cientistas japoneses conseguiram reativar as funções cardíacas de ratos que sofreram ataque no coração, transplantando lâminas derivadas de células pluripotentes induzidas (iPS) no coração, informou nesta terça-feira o jornal japonês “Asahi”.

“O estudo proporciona evidências que provam a eficácia dos tratamentos cardíacos humanos utilizando cardiomiócitos (células do miocárdio ou músculo cardíaco capazes de serem contraídos e responsáveis pelas batidas do coração) derivados de células iPS”, explicou Yoshiki Sawa, professor de cirurgia cardiovascular da Universidade de Osaka (sul).

Cientistas da universidade, junto ao Centro Nacional Cerebral e Cardiovascular do Japão, trabalham em um método para melhorar a função de bombeamento do coração em humanos com doenças cardíacas graves através deste tipo de células.

Para comprovar se estas podem se integrar adequadamente nos músculos do coração e bombear no mesmo ciclo, os pesquisadores implantaram lâminas de células cardíacas de 1 centímetro de diâmetro desenhadas a partir de células iPS em corações de ratos que tinham tido infartos de miocárdio.

Um mês depois dos transplantes, os cientistas analisaram o movimento de uma molécula de proteína presente nos cardiomiócitos dos ratos, que se associam às batidas.

Os resultados mostraram que as lâminas trasnplantadas batiam no mesmo ciclo que o músculo do coração, e que as funções cardíacas dos ratos tinham melhorado.

O fato foi publicado na edição digital da revista americana “Cell Transplantation”.

O Japão é pioneiro na geração de células pluripotentes induzidas (iPS), que são obtidas com a reprogramação de células já maduras.

Essa descoberta valeu ao professor Shinya Yamanaka, seu criador, o prêmio Nobel de medicina em 2012, e supôs uma verdadeira revolução, ao deixar obsoleto o uso de seu equivalente natural, as células-tronco embrionárias, cuja obtenção enfrenta problemas éticos.

No futuro, as iPS podem permitir a regeneração de órgãos inteiros, ao mesmo tempo que seu uso em estudos clínicos promete revolucionar a criação de novos fármacos.

Marcados com: ,
Publicado em Ciência Médica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?