OBESIDADE

Cientistas descobrem proteína que pode ser alvo terapêutico contra obesidade

Todos os dados confirmam que a MKK6 poderia se converter em um alvo terapêutico na luta contra a obesidade.

  • EFE/ROSARIO CANFRANCEFE/ROSARIO CANFRANC
EFE/ROSARIO CANFRANC

Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisas Cardiovasculares Carlos III (CNIC), em Madri (Espanha), identificaram uma proteína que poderia ajudar como potencial alvo terapêutico para reduzir a obesidade.

O estudo, dirigido por Guadalupe Sabio e Nuria Matesanz, demonstrou que a proteína chamada MKK6 controla a transformação da gordura branca – acumuladora de lipídios – em gordura marrom – a que queima os lipídios para manter a nossa temperatura corporal (reduzindo assim a obesidade).

O trabalho, feito em parceria com cientistas do Centro de Pesquisa em Medicina Molecular e Doenças Crônicas (CiMUS) e da Universidade de Extremadura foi publicado nesta quarta-feira na “Nature Communications”.

Atualmente, a obesidade já é considerada uma epidemia. Ao todo, 2,2 bilhões de pessoas sofrem de sobrepeso ou obesidade no mundo.

Com a colaboração de estudiosos do Hospital Universitário de Salamanca, o grupo de Guadalupe Sabio analisou mostras de gordura de pacientes obesos e descobriu uma proteína, a MKK6, que está presente em maior quantidade do que o habitual.

Ao analisar o seu funcionamento, os pesquisadores notaram que tal proteína reduz a transformação da gordura branca em gordura marrom, que consume esses lipídios para gerar calor.

A gordura corporal é essencial para manter o equilíbrio energético e ajudar a regular a temperatura do corpo, mas nem toda gordura é igual.

O metabolismo conta com dois tipos de tecido gorduroso: um tecido adiposo branco, que armazena calorias extras, e o marrom, uma gordura ‘boa’ que queima energia para manter a temperatura adequada.

A gordura “boa”

A gordura marrom pode ser ativada pelo frio e “gera calor em vez de armazenar gordura”, explica Sabio. O mais interessante é que a gordura branca normal “pode se transformar em marrom e aumentar a temperatura corporal”, uma descoberta transformou à gordura marrom em um possível alvo terapêutico para tentar eliminar o sobrepeso.

Segundo Matesanz, os seus resultados indicam que “as pessoas obesas perdem esta capacidade de ativar a gordura marrom ou de transformar a branca em marrom e, portanto, de perder peso mediante este processo”.

No estudo, as pesquisadoras viram que esta incapacidade de transformar é causada pela proteína MKK6. Com modelos animais conseguiram demonstrar que tal proteína faz com que a gordura branca não se transforme em marrom.

Assim, os ratos que têm falta desta proteína têm maior quantidade de gordura marrom e, em consequência, se encontram protegidos perante a obesidade ao eliminar a energia restante em forma de calor.

Os estudiosos demonstraram, inclusive, que a eliminação desta proteína, uma vez os ratos são obesos, serviria para frear a obesidade e reduzir peso.

Todos os dados confirmam que a MKK6 poderia se converter em um alvo terapêutico na luta contra a obesidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?