EQUILÍBRIO

Cientistas descobrem moléculas que recuperam o sentido do equilíbrio

O sistema vestibular é o encarregado do sentido do equilíbrio, e uma das causas da degradação funcional deste sistema é a exposição a agentes químicos ototóxicos, que provocam a perda das células ciliadas que o formam.

  • mas infoV07. Valencia, 25/11/08.- Aspecto del Centro Superior de Investigación en Salud Pública, dedicado al control de las enfermedades infecciosas, cuya sede se ha inaugurado hoy en Valencia. EFE/Manuel Bruque.Foto: EFE/Manuel BruqueFoto: EFE/Manuel Bruque
Foto: EFE/Manuel Bruque

Um grupo espanhol de cientistas determinou as causas moleculares da recuperação do sistema vestibular – que permite o equilíbrio – em casos de tóxicos que afetam o ouvido (ototoxicidade).

O sistema vestibular é o encarregado do sentido do equilíbrio, e uma das causas da degradação funcional deste sistema é a exposição a agentes químicos ototóxicos, que provocam a perda das células ciliadas que o formam.

Segundo os médicos, o sistema vestibular pode ser considerado um “sexto sentido”, e está localizado no ouvido interno, por trás do tímpano.

Embora não sejamos conscientes, nosso sistema vestibular está estimando constantemente o sentido da gravidade para corrigir a postura do corpo e também se encarrega de fixar o olhar quando o corpo está em movimento.

A degradação deste sistema, pouco estudado e sem tratamentos efetivos, pode provocar a perda do equilíbrio e, como consequência, mais quedas e vertigens, entre outros transtornos.

Agora, uma equipe da Universidade de Barcelona, em parceria com pesquisadores da Universidade de Gerona, determinou a causa da recuperação deste sistema em casos de ototoxicidade crônica.

Segundo o pesquisador da Universidade de Barcelona Jordi Llorens, um dos resultados principais do trabalho é que “se pôde observar que os sintomas de perda da função vestibular aparecem antes da morte das células ciliadas”.

“Vimos que, previamente, ocorre uma desconexão entre as células ciliadas e os terminais neurais, e pudemos mostrar como esta desconexão é, em boa parte, reparável”.

As causas principais de ototoxicidade são os antibióticos da família dos aminoglucosídeos, como a estreptomicina, ou produtos anticancerosos como o cisplatino.

Os médicos sabiam que a exposição a estes compostos causa a morte das células ciliadas, que são células sensoriais e transductores encarregados de detectar o movimento e transformá-lo em um sinal nervoso.

A morte destas células é irreversível, dado que não há regeneração, mas os médicos tinham observado pacientes nos quais havia recuperação funcional após a eliminação do agente tóxico, embora desconhecessem a causa desta recuperação.

As células ciliadas estão envolvidas pelos terminais neurais, que formam uma estrutura similar a um cálice.

No trabalho, publicado na revista “Disease Models and Mechanisms”, foi identificado um efeito inicial da toxicidade crônica: a eliminação das uniões que há entre a célula e o terminal neuronal.

Atualmente não existem tratamentos para as doenças vestibulares, embora alguns estudos apontem que podem afetar mais da metade da população de mais de 60 anos.

No estudo, os autores utilizaram ratos para estudar a progressão da disfunção vestibular e sua reversibilidade durante e depois da exposição tóxica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?