Vacinação

Califórnia quer lei para obrigar pais a vacinar seus filhos

Câmara californiana aprovou projeto de lei que limita o direito dos pais a recusar a vacinação dos filhos.

  • mas infoEFE/EUA CARIBE SHM09 PROVO (UT, EEUU), 1/5/2009.- Una enfermera prepara este viernes 1 de mayo las vacunas contra la gripe estacional que serán inyectadas en la Clinica de la Inmunización en la ciudad de Provo (Utah). Sin embargo, según la directora de la Organización Mundial de la Salud (OMS) para la Investigación de Vacunas, Marie-Paule Kieny, esta vacuna no es efectiva para prevenir el nuevo virus AH1N1. Kieny recordó que la fabricación de vacunas resulta de un complejo proceso que, en algunos casos, ha hecho imposible formular vacunas para determinadas enfermedades, como el sida. Sin embargo, se mostró confiada en la "tremenda experiencia" que tiene la industria farmacéutica en el área de vacunas para la gripe estacional. EFE/GEORGE FREYFoto:  EFE/GEORGE FREYFoto: EFE/GEORGE FREY
Foto:  EFE/GEORGE FREY

A Câmara baixa californiana aprovou por maioria simples o projeto de lei SB 277 que limita o direito dos pais a invocar razões pessoais para evitar que seus filhos recebam as vacinas prescritas pelas autoridades médicas.

A medida já obteve o sinal verde do Senado californiano em maio e será revisada de novo pela Câmara alta antes de ser enviada ao governador Jerry Brown para sua assinatura definitiva.

Caso se transforme em lei -tudo aponta para esta possibilidade-, a Califórnia seria o trigésimo segundo estado no país que poria fim à isenção de vacinação por crenças pessoais.

Até o momento, os pais californianos podem saltar o calendário de vacinação de seus filhos se assim consideram oportuno, embora tenham que receber a assessoria de um doutor que lhes explique as consequências de sua decisão.

A proposta SB 277, que conta com um amplo respaldo da comunidade médica, política e social, foi recebida também com críticas por parte de um crescente número de famílias que desconfiam das vacinas pelos potenciais efeitos secundários que podem produzir.

Na Califórnia há escolas nas quais 30% dos alunos, segundo dados do departamento estadual de Saúde, não estão vacinados por decisão dos pais, uma porcentagem alarmante aos olhos das autoridades.

Se considera que uma comunidade está protegida contra uma doença quando entre 92% e 95% de seus membros está vacinado, isto gera a imunização coletiva, ou seja, que é altamente improvável que alguém se contagie inclusive se não estivesse imunizado.

Vários pais se manifestaram maio passado em Anaheim onde se realizava um convenção estadual do Partido Democrata para protestar pela proposta para endurecer a regulação do uso de vacinas que foi apresentada em fevereiro no Senado da Califórnia pelos democratas Ben Allen e Richard Pan.

“É graças a todos os pais e mães do movimento Vaccinate California que tornaram possível a SB 277. As vacinas funcionam”, assegurou hoje Pan, pediatra da legenda, em sua conta no Twitter.

Os impulsores deste projeto de lei asseguram que o que se procura é defender a saúde pública mediante a proteção das taxas de vacinação.

A lei só se aplicaria às vacinas atualmente em vigor e obrigaria às escolas primárias, secundárias e de ensino médio, além das creches a exigir que todos seus alunos estejam imunizados para permitir-lhes o acesso às dependências.

A SB 277 foi criada em resposta ao surto de sarampo que se originou na Disneylândia, Califórnia, no final de 2014 e que se deu por terminado em abril após afetar 131 pessoas, muitas das quais não tinham sido vacinadas contra este vírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?