TUBERCULOSE

Brics estudam oferecer tratamento gratuito contra tuberculose

De acordo com um comunicado emitido pelo Ministério da Saúde brasileiro, os ministros decidiram adotar uma estratégia conjunta para ampliar a oferta de remédios e garantir o acesso universal aos portadores da doença.

  • mas infoTUB01. JAMMU (INDIA), 24/3/2012.- Un paciente enfermo de tuberculosis recibe tratamiento médico en un hospital en Jammu (India= hoy, sábado, 24 de marzo de 2012. Un día como hoy, hace 130 años, el científico alemán Robert Koch anunció que había descubierto la bacteria causante de la tuberculosis. En recuerdo de aquella fecha, el 24 de marzo es el Día Mundial de la Tuberculosis, una jornada que trata de llamar la atención sobre esta enfermedad, que se puede prevenir y curar, pero que en 2010 mató a 1,4 millones de personas. Un tercio de la población mundial está infectada con el bacilo de la tuberculosis y entre el 5 y el 10% desarrollarán la enfermedad a lo largo de su vida. EFE/Jaipal SinghFoto: EFE/Jaipal SinghFoto: EFE/Jaipal Singh
Foto: EFE/Jaipal Singh

O Brasil, juntamente com os outros países membros do fórum Brics (Rússia, Índia, China e África do Sul) se comprometeu na última sexta-feira  (5) a negociar uma estratégia que os permita oferecer, gratuitamente, remédios para o tratamento da tuberculose em países de baixa renda.

O compromisso foi incluído no documento final da 4ª Reunião de Ministros da Saúde dos cinco países, que aconteceu em Brasília entre os dias 2 e 5 de dezembro.

De acordo com um comunicado emitido pelo Ministério da Saúde brasileiro, os ministros decidiram adotar uma estratégia conjunta para ampliar a oferta de remédios e garantir o acesso universal aos portadores da doença.

“O documento reflete a preocupação dos cinco países com a saúde global. A possibilidade de garantirmos o fornecimento gratuito de medicamentos de primeira linha contra a tuberculose é um marco e demonstra nosso compromisso, o estímulo ao desenvolvimento tecnológico e o respaldo às iniciativas multilaterais de saúde”, disse o ministro da Saúde, Arthur Chioro, em entrevista coletiva.

Segundo Chioro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 22 países, a maioria de poucos recursos, sejam responsáveis por 80% dos casos de tuberculose, doença que registra cerca de seis milhões de casos e um milhão de mortes por ano.

Os Brics se destacam entre os países mais vulneráveis, sendo responsáveis por 50% dos casos registrados. A estratégia conjunta a ser negociada propõe que 90% dos casos da doença possam ser diagnosticados e tratados, segundo Chioro.

Os ministros dos países do grupo consideram que, com o acesso universal aos remédios, será possível a eliminação da tuberculose como problema de saúde pública e que este objetivo pode ser alcançado em breve.

A estratégia dos cinco países será traçada em reunião prevista para março do próximo ano.

O governo brasileiro já distribui os remédios para o tratamento da tuberculose gratuitamente para a população.

Segundo o Ministério da Saúde, a taxa de incidência de tuberculose no Brasil caiu de 44,4 casos a cada 100 mil habitantes em 2003 para 35 em 2013. A taxa de mortalidade caiu de 3 óbitos a cada 100 mil habitantes em 2012 para 2,3 em 2013.

Entre os compromissos assumidos pelos ministros dos cinco países estão o combate à má nutrição e a troca de informações em relação às campanhas de prevenção de doenças como o HIV e o ebola.

Os Brics reiteraram a intenção de cumprir as metas estabelecidas pela OMS em parceria com Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/Aids (Unaids), conhecida como 90-90-90. Os objetivos são que, até 2020, 90% da população seja examinada, 90% dos diagnosticados iniciem o tratamento contra a doença e 90% dos pacientes reduzam suas cargas virais a níveis indetectáveis.

Os cinco países também aprovaram a criação de um grupo de trabalho para desenvolver um plano conjunto de combate ao ebola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?