MICROCEFALIA

Brasil acha evidências de vínculo de ‘zika’ com microcefalia em recém-nascidos

O zika é causado por um vírus original da África, mas que nos últimos meses se propagou por vários países da América Latina.

  • Foto: Wikimedia CommonsFoto: Wikimedia Commons
Foto: Wikimedia Commons

O governo brasileiro anunciou hoje que encontrou  “evidências” da relação entre a propagação do vírus zika pelo nordeste do país e um alarmante aumento de casos de microcefalia em bebês recém-nascidos nessa região.

Desde o julho passado se detectaram 399 casos de microcefalia em sete estados do nordeste, a região mais afetada pelo vírus, segundo o último boletim divulgado hoje pelo Ministério da Saúde.

Mais da metade dos casos, 268, se registraram no estado de Pernambuco e também há um elevado número nas regiões de Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Piauí e Bahia.

A média de casos em todo Brasil é de 100 a 120 casos por ano, quatro vezes mais na média anual, segundo dados do Ministério da Saúde.

“Temos evidência de uma relação muito grande da circulação do vírus zika e a aparição de microcefalia”, afirmou o diretor do departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, em entrevista coletiva.

Os médicos acharam o vírus no líquido amniótico de duas mulheres grávidas, cujos fetos já têm indícios de padecer microcefalia.

No entanto, os pesquisadores ainda carecem de dados suficientes para medir de forma exata a correlação entre ambas dolências, o que não se descarta que a microcefalia tenha sido causada por outros fatores.

Segundo Maierovitch, o papel do governo é “informar” para que a população tome decisões com conhecimento e que resolvam “o risco que se quer correr”.

O zika é causado por um vírus original da África, mas que nos últimos meses se propagou por vários países da América Latina.

O vírus é transmitido pelo aedes aegypt, o mesmo mosquito responsável pelo dengue e a chicungunha, e a doença tem sintomas parecidos aos destas dolências, mas é menos grave, por isso que sua notificação não é obrigatória no Brasil.

Os primeiros casos no país foram confirmados em abril nos estados da Bahia e Rio Grande do Norte, ambos no nordeste, mas já se registraram casos em 14 dos 27 estados do país.

Marcados com: ,
Publicado em Doenças e Tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?