CORAÇÃO

Bebê nasce com coração fora do corpo e sobrevive no R.Unido

Para tratar a pequena Vanellope Hope Wilkins foram necessários 50 médicos, assim como equipamento especializado.

  • EFE/ ArquivoEFE/ Arquivo
EFE/ Arquivo

Uma bebê britânica que nasceu em novembro com o coração fora do corpo sobreviveu a três cirurgias em um hospital de Leicester (centro da Inglaterra), informa nesta quarta-feira a “BBC”.

Vanellope Hope Wilkins nasceu em 22 de novembro mediante uma cesárea programada no Hospital Glenfield, na citada cidade inglesa, após as ultrassonagrafias apontarem uma rara condição que é conhecida como ectopia cordis.

Esse nome denomina uma má-formação congênita pouco habitual associada a uma localização anormal do coração, situado fora da caixa torácica.

Segundo o hospital, no Reino Unido não existe nenhum outro caso como este, já que a maioria dos afetados nasce sem vida.

Para tratar a pequena Vanellope foram necessários 50 médicos, assim como equipamento especializado.

No dia do parto, a mãe da bebê, Naomi Findlay, de 31 anos, foi levada à sala de cirurgia, onde era esperada por quatro equipes de especialistas, formadas por médicos, parteiras, enfermeiras, entre outros.

Quando a bebê nasceu, foi envolvida em uma bolsa de plástico esterilizada, na qual foi transferida a um quarto adjunto, onde os especialistas em cuidados de recém-nascidos lhe inseriram um tubo de respiração antes de anestesiá-la.

“Depois de 50 minutos do nascimento, foi constatado que Vanellope estava suficientemente estável para ser transferida à sala de cirurgia, onde tinha nascido e onde era esperada pelos anestesistas e pelas equipes cirúrgicas pediátricas especializadas em doenças coronárias congênitas, que colocaram o coração dentro do peito“, explicou hoje o especialista Jonathan Cusack.

Com sete dias, a pequena foi submetida à segunda cirurgia, na qual seu peito foi aberto ainda mais a fim de criar mais espaço para o bom encaixe do coração e, durante um período de umas duas semanas, esse órgão foi se ajustando de maneira natural.

A terceira cirurgia consistiu em extrair pele da região debaixo dos braços do bebê para inseri-la no corpo ao mesmo tempo que os médicos geraram uma espécie de malha para proteger o coração, pois a menina nasceu sem esterno e costelas.

Os médicos admitiram que antes do nascimento, apenas com as ultrassonagrafias, a situação era vista como muito delicada.

O hospital considera que Vanellope enfrenta ainda um longo caminho pela frente, no qual o risco principal são as possíveis infecções.

O seguinte passo será tirar a respiração artificial, que a ajuda se recuperar da cirurgia.

O pai da bebê, Dean Wilkins, de 43 anos e natural de Nottingham (centro do país), afirmou à BBC que sua filha está “desafiando” previsões médicas e considerou que seu caso “vai além do milagre“.

Apesar do nascimento, a princípio, estar previsto para o Natal, os médicos induziram o parto semanas antes a fim de evitar que ocorressem infecções ou danos no coração.

Segundo as estatísticas, os bebês nascidos com essa estranha condição contam com menos de 10% de possibilidade de sobrevivência.

Marcados com: , , ,
Publicado em Ciência Médica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?