BRASIL TUBERCULOSE

Anvisa concede registro a medicamento brasileiro inovador contra tuberculose

O registro foi concedido nesta semana pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), informou o Farmanguinhos, um laboratório vinculado ao Ministério da Saúde e responsável pela inovação.

  • mas infoTUB01. JAMMU (INDIA), 24/3/2012.- Un trabajador sanitario recoge una muestra de un paciente enfermo de tuberculosis en un hospital en Jammu (India) hoy, sábado, 24 de marzo de 2012. Un día como hoy, hace 130 años, el científico alemán Robert Koch anunció que había descubierto la bacteria causante de la tuberculosis. En recuerdo de aquella fecha, el 24 de marzo es el Día Mundial de la Tuberculosis, una jornada que trata de llamar la atención sobre esta enfermedad, que se puede prevenir y curar, pero que en 2010 mató a 1,4 millones de personas. Un tercio de la población mundial está infectada con el bacilo de la tuberculosis y entre el 5 y el 10% desarrollarán la enfermedad a lo largo de su vida. EFE/Jaipal SinghFoto: EFE/Jaipal SinghFoto: EFE/Jaipal Singh
Foto: EFE/Jaipal Singh

As autoridades da área de saúde concederam registro a um medicamento contra a tuberculose desenvolvido por pesquisadores de uma laboratório público brasileiro, que combina quatro princípios ativos e eleva a eficácia do tratamento.

O registro foi concedido nesta semana pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), informou o Farmanguinhos, um laboratório vinculado ao Ministério da Saúde e responsável pela inovação.

O remédio é conhecido provisoriamente como 4 x 1 porque reúne quatro dos principais princípios ativos utilizados no combate à tuberculose.

O fármaco brasileiro reúne rifampicina em uma concentração de 150 miligramas, isoniazida (75 mg), pirazinamida (400 mg) e etambutol (275 miligramas).

Além de elevar a eficácia, o fármaco, do qual o paciente tem que ingerir um comprimido diário durante todo o tratamento, pode reduzir significativamente as elevadas taxas de abandono do tratamento porque muitos pacientes se cansam de ter de tomar vários remédios e até várias vezes por dia.

“Este tipo de formulação em dose fixa combinada é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a forma mais eficaz de combate à tuberculose, já que reduz o número de comprimidos que têm que ser tomados pelo paciente diariamente”, informou o Farmanguinhos em comunicado.

O tratamento tradicional contra a tuberculose, com o consumo diário de vários comprimidos, dura pelo menos seis meses.

De acordo com o Farmanguinhos, uma vez registrado o medicamento, a entidade tem um prazo de três anos para implantar toda a tecnologia de produção do fármaco no Complexo Tecnológico de Remédios (CTM), no Rio de Janeiro.

“De acordo com o cronograma, o início da produção está previsto para 2017”, afirmou a coordenadora de Desenvolvimento Tecnológico de Farmanguinhos, Gisele Moreira, citada no comunicado.

A produção do remédio gerá uma economia ao Ministério da Saúde do Brasil de cerca de R$ 11 milhões, que anualmente gasta para distribuir gratuitamente remédios contra a tuberculose, uma doença que no ano passado registrou 71.123 novos casos no país.

Segundo estatísticas do Ministério da Saúde, o Brasil registrou 4.406 mortes por tuberculose em 2012, principalmente entre pessoas que vivem na rua, portadores do vírus da aids, presos e indígenas.

Marcados com: , ,
Publicado em Ciência Médica     Doenças e Tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?