EBOLA

Aliança Global de Vacinas aprova US$ 400 milhões para luta contra o ebola

Duas vacinas passam por testes clínicos em diversas partes do mundo: a VSV-ZEBOV, desenvolvida pela Agência de Saúde Pública do Canadá e cuja patente pertence à farmacêutica Merck, e a chade3-ZEBOV, da GlaxoSmithKline.

  • mas infoSTO03. SANTO DOMINGO (REPÚBLICA DOMINICANA), 07/11/2014.- Personal de Salud Pública de República Dominicana participa en un simulacro de prevención del ébola, donde ingresan al supuesto paciente al Hospital Militar Doctor Ramón de Lara, hoy, viernes 7 de noviembre del 2014, en Santo Domingo (República Dominicana). En el operativo se representó la llegada al Aeropuerto Internacional Las Américas (AILA) de un viajero sospecho de portar el ébola con síntomas de fiebre, procedente de Sierra Leona. El Ministerio de Salud Pública destacó que el ejercicio se realizó con el objetivo de revisar y evaluar los procedimientos de identificación, aislamiento, transporte y manejo de casos sospechosos de ébola. EFE/Orlando BarríaAliança Global de Vacinas aprova US$ 400 milhões para luta contra o ebola
Aliança Global de Vacinas aprova US$ 400 milhões para luta contra o ebola

O Conselho de Administração da Aliança Global para as Vacinas e a Imunização (Gavi) decidiu autorizar nesta quinta-feira a compra de vacinas contra o ebola para ajudar a implementar programas de imunização em massa.

Duas vacinas passam por testes clínicos em diversas partes do mundo: a VSV-ZEBOV, desenvolvida pela Agência de Saúde Pública do Canadá e cuja patente pertence à farmacêutica Merck, e a chade3-ZEBOV, da GlaxoSmithKline.

Nesta quinta-feira foi noticiado que o teste da VSV-ZEBOV foi suspenso temporariamente após alguns voluntários reclamarem que tinham sofrido dores musculares.

O Conselho aprovou um plano pelo qual seriam destinados até US$ 300 milhões para a compra de até 12 milhões de tratamentos para vacinar o mais rápido possível a população em risco, segundo informou em comunicado.

Outros US$ 90 milhões ficarão disponíveis para ajudar os países afetados, dos quais US$ 45 milhões seriam destinados ao processo de imunização, que inclui o treinamento de profissionais de saúde e a melhora do sitstema climatização e vigilância.

Outros US$ 45 milhões seriam para a reconstrução dos sistemas de saúde e, principalmente, para os serviços gerais de vacinação para retomar todos os programas de imunização contra outras doenças.

Para obter os fundos, a Gavi usará recursos próprios e uma parte obtida através de doadores que já se comprometeram na luta contra a epidemia de ebola que neste ano afetou, principalmente, Guiné, Libéria e Serra Leoa.

A Gavi detalhou que o dinheiro poderá ser usado não apenas para controlar a proliferação da atual epidemia, mas também para guardar vacinas de primeira e de segunda geração em caso de eventuais surtos.

Quase 18 mil pessoas foram contaminadas pelo ebola no atual surto no oeste da África. Cerca de 6.400 morreram devido à doenças, segundo os últimos dados divulgados pela OMS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?