• HONDURAS SAÚDEHonduras reporta 1º nascimento de bebê com microcefalia associada ao zika
  • (Chamada) SAÚDE ZIKAZika vírus pode permanecer no sêmen mais que o esperado, segundo estudo
  • ZIKA VACINA (Pauta)OMS diz que vacina para zika irá demorar no mínimo 18 meses para ser testada
  • OMS ZIKAOMS recomenda que grávidas adiem viagens para locais com zika
  • OMS ZIKA (Ampliação)OMS: Testes amplos de vacina contra zika só ocorrerão depois de 18 meses
  • (Chamada) OMS ZIKAOMS: Testes amplos de vacina contra zika só ocorrerão depois de 18 meses
  • (Chamada) OMS ZIKAOMS diz que teste de diagnóstico de zika pode estar disponível em semanas
  • AUSTRÁLIA ZIKAAustrália confirma segundo caso de grávida com zika vírus
  • SAÚDE ZIKAAIEA oferece tecnologia à América Latina para detecção antecipada de zika
  • PERU SAÚDEPeru declara emergência em áreas com surto de raiva causada por morcegos
ZIKA VACINA

Áustria anuncia estudos clínicos para vacina contra o zika

Após sucesso em estudos preliminares, empresa vienense seleciona voluntários para novos teste de vacina contra Zika

EFE/Sebastião MoreiraEFE/Sebastião Moreira

Um protótipo de vacina contra o zika foi desenvolvido por uma empresa vienense, que lançou um estudo clínico em seres humanos, aberto a voluntários de todo o mundo, após verificar sua possível eficácia em estudos preliminares.

Em um comunicado divulgado hoje, a companhia austríaca Themis Bioscience explica que a nova vacina é baseada na mesma tecnologia que foi aplicada para elaborar, com êxito, uma outra contra a febre chicungunha.

A companhia assegura que na nova vacina foi aplicada a tecnologia do DNA recombinante (utiliza a união de sequências de DNA provenientes de dois organismos distintos) e, em sua visão, “promete uma resposta imunológica rápida e eficaz”.

O programa de vacinação “está baseado em uma vacina viva atenuada (tipo de imunização já empregado na prevenção da poliomielite, da rubéola e do sarampo, que consiste em inocular no indivíduo o mesmo vírus que provoca a doença, porém manipulado para reduzir sua periculosidade e para que estimule as defesas do organismo em combatê-lo”, diz a nota.

Na primeira fase do estudo clínico foram testados em 48 voluntários três tratamentos com diversas dosagens, com o objetivo de identificar a mais adequada quanto a seu efeito protetor e tolerância.

O estudo, aberto a voluntários até o fim deste mês, é realizado no Departamento de Farmacologia Clínica e no Instituto de Profilaxia Específica e Medicina Tropical da Universidade de Medicina de Viena, e seus primeiros resultados são esperados no prazo de seis meses.

Trata-se do “primeiro estudo mundial de uma vacina viva atenuada de DNA recombinante contra o zika”, garante em nota o presidente e fundador da Themis, Erich Tauber.

“As vacinas atenuadas são consideradas melhores porque induzem uma ativação mais rápida e mais completa do sistema imunológico, com uma imunidade duradoura, explica.

O zika tem causado grande preocupação internacional desde que foi descoberta sua relação com casos de microcefalia em recém-nascidos, inicialmente no Brasil e na Polinésia, e outros transtornos neurológicos que podem afetar a todos.

O virus da Zika é transmitido através da picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue, a chicungunha e a febre amarela, e entre seres humanos o contágio pode ser por relações sexuais.

Marcados com: ,
Publicado em Ciência Médica     Doenças e Tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Login

Registrar | Perdeu sua senha?